Maria Dalby

O Sentimento de Pertença e a Cultura na Lundbeck

Maria joined Lundbeck in 2011 first as a student assistant, later as a master student, and now as a Post-Doc fellow in the department of Bioinformatics. In her daily work, she draws not only numbers and data but also the culture at Lundbeck to figure out the variants that confer a risk of disease. Maria juntou-se à Lundbeck em 2011 como estudante de estágio, mais tarde como estudante de mestrado, e agora como colega de pós-doc no departamento de Bioinformática. No seu trabalho diário, ela recorre não só a números e dados, mas também à cultura Lundbeck para descobrir as variantes que conferem um risco de doença.

Maria Dalby

Dinamarca

Número de anos na Lundbeck: 2 contínuos, 5 no total 

Nacionalidade

Dinamarquesa

Profissão

Post-Doc 

Descreva o seu trabalho

Sou Post-Doc a nível da indústria que trabalha em Investigação e Desenvolvimento no Departamento de Bioinformática. O meu trabalho centra-se na investigação em distúrbios do estado de ânimo com foco na caracterização de variantes epidemiológicas e genéticas que conferem risco de doença. A maior parte do meu tempo é gasto em análises e modelação de dados humanos clínicos e reais.

Descreva a sua experiência na Lundbeck

Juntei-me à Lundbeck em 2011 como estudante de estágio e mais tarde como estudante de mestrado. Experimentar a cultura na empresa e trabalhar em equipa com as pessoas foi crucial para o meu emprego posterior. Estou na minha posição atual desde 2018, onde gosto de trabalhar no cruzamento entre a investigação e a clínica no desafiante campo da genética psiquiátrica. 

Como descreveria a cultura Lundbeck?

A cultura naLundbeck é calorosa e inclusiva e demorei pouquíssimo tempo a ter a sensação de pertença. No meu trabalho diário, encontro pessoas dedicadas em toda a organização onde diferentes origens e culturas se juntam.

Orgulho-me de trabalhar num local que aborda um dos maiores desafios da sociedade de hoje, assumindo grande responsabilidade pelos doentes tratados. Maria Dalby

O que o motiva no seu trabalho diário?

Estou motivada por trabalhar com novas ideias de investigação que abordam uma necessidade médica não atendida para as pessoas que sofrem de doenças mentais, como a medicina personalizada para um tratamento melhor. É um momento emocionante para ser um cientista de dados na Lundbeck, onde projetos inovadores e o re-pensamento têm alta prioridade. 

Mais histórias da Lundbeck

Lars Lau Raket

Trabalhar para compreeender o Puzzle do Cérebro

Pablo Martín-Gago

Por quê Copenhaga e por quê Lundbeck