Dependência do Álcool

A dependência do álcool é uma doença do cérebro, caracterizada por perturbações na estrutura, neuroquímica e comportamento do cérebro devido ao consumo de álcool.

mulher de bicicleta

Dependência do Álcool - resumo
A dependência do álcool é uma doença médica e comportamental, com um elevado risco de evoluir de forma crónica, recidivante e progressiva.1 A extensa investigação ao longo dos últimos 20 anos tem contribuído para a compreensão da doença, afastando a dependência de álcool de uma falha de carácter moral e reconhecendo-a como uma situação médica que pode - e deve - ser tratada.2
O álcool é tóxico para a maioria dos órgãos do corpo e o nível de consumo está fortemente relacionado com o risco de morbilidade de longo prazo e mortalidade.3 O álcool é um factor causal em mais de 60 tipos de doenças e ferimentos. O consumo excessivo de álcool está também associado a elevados custos para a sociedade, devido à violência, perda de produtividade e cuidados de saúde.
Os factores genéticos e ambientais são importantes no início do consumo de álcool. A família, pares e sociedade determinam o nível de exposição ao stresse e ao álcool. A susceptibilidade de se desenvolver uma perda de controle no consumo do álcool é geneticamente predisposta e os factores genéticos contribuem para cerca de 60% do risco de doença.5, 6 O risco de dependência do álcool aumenta com o consumo do álcool.7 Estima-se que o consumo do álcool provoque cerca de 20% a 50% das cirroses hepáticas, epilepsia, envenenamentos, acidentes de viação, violência e vários tipos de cancro.4

Sintomas
Uma característica central à dependência do álcool é, muitas vezes, o incontrolável desejo de consumir álcool. Os doentes revelam dificuldade em controlar o consumo do álcool e continuam a consumir apesar das consequências nefastas para a saúde.8 Na maioria dos casos os doentes que se abstêm de beber, manifestam sintomas como náuseas, sudação e tremores.9

Estatísticas
O consumo excessivo de álcool é comum em muitas partes do mundo, especialmente na Europa.4
A dependência do álcool é uma das doenças mentais mais comuns na Europa.10 Mais de 14 milhões de pessoas na União Europeia são dependentes do álcool.10
A totalidade dos custos da dependência do álcool na Europa foi estimada em 58 biliões de Euros11. Na Europa a taxa média de diagnósticos de abuso de álcool ou dependência, ronda os 15%.12 Destes doentes muito poucos são os que estão a ser tratados na Europa. A falta de tratamento no abuso do álcool e dependências é de 92% o que significa que apenas 8% recebem tratamento.13  

A procura de diagnóstico e tratamento
As pessoas que pensam poder ser dependentes de álcool podem receber ajuda do seu médico. O diagnóstico tem em conta aspectos biológicos e factores comportamentais e sociais.14 A informação recolhida de familiares, amigos e colegas de trabalho pode também ser importante para o diagnóstico.
O tratamento para dependência de álcool consiste em terapia comportamental que é geralmente feita a par com medicação.2 Devem ser considerados objectivos tanto de abstinência como de redução de consumo como parte integrante da abordagem terapêutica dos doentes com dependência do álcool.15,16 O apoio dos que estão mais próximos do doente também é muito importante.
Qualquer tipo de tratamento para a dependência do álcool só deve ser iniciado após aconselhamento médico.

Referências
1 WHO, ASAM website 2012
2 Gunzerath L, Hewitt BG, Li TK, Warren KR. Alcohol research: past, present, and future. Ann N Y Acad Sci 2011; 1216: 1–23.
Rehm et al. Eur Addict Res 2003:9:147-156
WHO. Global Status Report on alcohol and health, 2011 
5 Vengeliene et al., Br J Pharmacol 2008; 154(2):299-315
6 Schukit Ch. 98, In: Davis et al. (eds) Neuropsychopharmacology: The Fifth Generation of Progress. 2002 
7 Dawson & Archer, Addiction 1993; 88:1509-1518  
WHO, ICD-10, F10-19.
9 MayoClinic.com.Alcoholism, May 2010.
http://www.mayoclinic.com/health/alcoholism/DS00340/DSECTION=symptoms. Accessed/08 2012
10 Wittchen et al. Eur Neuropsychopharmacol 2011;21(9):655-679
11 Gustavsson et al. Eur Neuropsychopharmacol 2011;21(10):718-779
12 Mukherjee & Sosa. Special report. Alcohol Addiction, Decision Resources, 2010.
13 Kohn et al. Bull World Health Organ 2004;82(11):858-866
14 American Psychiatric Association (APA). Diagnosis and Statistical Manual of Mental Disorders. Fourth Edition. Text Revision. DSM-IV-TRTM. 2000 American Psychiatric Association
15 EMA. Guideline on the development of medicinal products, 2012
16 NICE. Clinical guideline 115, 2011

Está prestes a sair de lundbeck.pt