1915-1925

Os primeiros anos

1915-1925

Em 14 de agosto de 1915, Hans Lundbeck fundou uma empresa em Copenhague, na Dinamarca. A primeira funcionária que ele contratou, uma jovem que durante muitos anos fora campeã dinamarquesa de datilografia, acabou futuramente se tornando sua esposa e fundadora da Fundação Lundbeck.

A empresa comercializava de tudo – de maquinário, biscoitos, itens de confeitaria e adoçantes a equipamentos de cinema e câmeras, papel fotográfico e folha de alumínio, além de alugar aspiradores de pó. Nos primeiros anos, ela funcionou como uma empresa de comércio de produtos; porém, a partir de meados da década de 1920, foram adicionados fármacos de todos os tipos à linha de produtos.

Hans Lundbeck (1885-1943)

Grete Lundbeck (1900-1965)

Eduard Goldschmidt foi contratado em 1924 e levou para a empresa a sua experiência nas indústrias química e farmacêutica e vários novos contratos com agências para a comercialização de fármacos, como supositórios e analgésicos.

Eduard Goldschmidt (1901-1950)

Você sabia que…

As vítimas da Primeira Guerra Mundial se tornaram uma oportunidade de pesquisa singular para os neurologistas, ainda que de forma indesejada. Observando as disfunções físicas e psicológicas provocadas pelos ferimentos de guerra, os neurologistas foram capazes de associar subdepartamentos do nosso sistema nervoso central a habilidades específicas. Em 1917, Julius Wagner Ritter von Jauregg descreveu o primeiro tratamento psiquiátrico causal ao descobrir o tratamento da demência paralítica por inoculação de malária. Em 1920, Otto Loewi realizou a primeira experiência que provou que a transmissão nervosa é um processo químico. Em 1922, pacientes com esquizofrenia começaram a ser tratados com a terapia Somnifen-Dauerschlaf. Eles recebiam doses altas de Somnifen (uma droga barbitúrica), que os fazia dormir o dia inteiro durante até duas a três semanas.

Nossas próprias fábricas de produção

1926-1935

Nos primeiros anos, ela funcionou como uma empresa de comércio de produtos; porém, a partir de meados da década de 1920, foram adicionados fármacos de todos os tipos à linha de produtos.

Em 1933, A Lundbeck vendia produtos químicos no valor de 42.000DKK, enquanto que outros produtos do portfólio tornaram-se mais e mais insignificantes.

Na década de 1930, a Lundbeck iniciou sua própria produção e embalagem de produtos farmacêuticos na Dinamarca. O volume crescente de produção gerou a demanda por mais espaço e novos funcionários. A Lundbeck embarcou em sua jornada de crescimento.

Em 1927, Lundbeck mudou para um escritório mais novo e maior no centro de Copenhagen.

Você sabia que…

Em 1929, Hans Berger apresentou o primeiro eletroencefalograma humano (EEG), um instrumento para medir e registrar a atividade elétrica do cérebro. Hoje, a invenção de Berger é usada rotineiramente para diagnósticos em neurologia e psiquiatria e é uma ferramenta comum na pesquisa do cérebro. Em 1933, Manfred Sakel relatou os resultados experimentais iniciais de testes sobre a eficácia do tratamento de choque e com insulina em pacientes esquizofrênicos em Berlim, na Alemanha. Os tratamentos somáticos para doenças mentais, como a terapia eletroconvulsiva e a psicocirurgia, estavam em desenvolvimento. Eles se baseavam no modelo biológico de patologia mental, que entende a doença mental como o resultado de um desequilíbrio biológico no organismo e a compara a doenças físicas. Durante a década de 1930, com o colega Herbert Jasper, Wilder Penfield inventou o procedimento de Montreal, através do qual tratava pacientes com epilepsia aguda destruindo células nervosas do cérebro onde se originavam as convulsões. Antes da cirurgia, com os pacientes conscientes na mesa de operações (somente com anestesia local), ele estimulava o cérebro com sondas elétricas e observava as reações. Dessa forma, ele identificava com maior precisão as áreas responsáveis do cérebro, reduzindo os efeitos colaterais da cirurgia. Esse procedimento é utilizado com sucesso até hoje.

O primeiro produto original

1936-1945

Em 1937, a Lundbeck contratou o seu primeiro funcionário cientista, o farmacêutico Oluf Hübner, que levou com ele mais produtos farmacêuticos e deu início ao diálogo da Lundbeck com os médicos.

Em 1937, juntamente com o instituto de biologia da Fundação Carlsberg, a Lundbeck desenvolveu seu primeiro produto original, chamado Epicutan®, para a cicatrização de feridas. O sucesso com Epicutan® deu à Lundbeck ambições internacionais e a confiança para buscar continuamente novas oportunidades de pesquisa – forças motrizes que caracterizam a empresa até hoje. Para garantir uma capacidade suficiente de fabricação, em 1939 a empresa se transferiu para Valby, nos arredores de Copenhagen, onde ainda está situada a sede da Lundbeck. Dirigida por Oluf Hübner, a Lundbeck estabeleceu as primeiras instalações de pesquisa em química, que garantiram as circunstâncias necessárias para o desenvolvimento de Lucosil®, produto para infecções do trato urinário. O número total de funcionários já era de 45.

P.V. Petersen (1920-1988)

As instalações das plantas, Ottiliavej 7, Valby, Dinamarca.

Hans Lundbeck faleceu em 1943, e Poul Viggo Petersen foi contratado com o objetivo de desenvolver as pesquisas farmacêuticas na Lundbeck. Poul Viggo Petersen viajou para a Alemanha em 1946 e trouxe consigo um composto que a Lundbeck aprimorou, produzindo o potente analgésico Ketogan®, que era cerca de duas vezes mais potente que a morfina. As vendas de Ketogan® resultaram em mais um período de forte crescimento para a Lundbeck, no qual os mercados internacionais continuaram a ser mais importantes que os locais.

Você sabia que…

Em 1935, Egas Moniz, um neurologista português, realizou a primeira lobotomia do mundo. Nos anos seguintes, Walter Freeman e James W. Watts fizeram as primeiras lobotomias nos Estados Unidos. A intenção da lobotomia era acalmar pacientes incontrolavelmente violentos ou emotivos, e – ao menos inicialmente – demonstrou ser bem-sucedida. Contudo, além de uma taxa de mortalidade de 25%, as lobotomias também resultavam em pacientes incapazes de controlar os impulsos, excessivamente calmos ou superficiais e/ou que mostravam uma ausência total de sentimentos. O uso dessa prática diminuiu com a introdução dos medicamentos psicoativos. Em 1949, Egas Moniz recebeu o Prêmio Nobel por seu trabalho. Em 1936, os médicos italianos Ugo Cerletti e Lucio Bini administraram a primeira terapia de choque com uso de eletricidade em um paciente esquizofrênico, com bons resultados. O tratamento logo se tornou comum, sendo usado com mais frequência nos EUA e na Europa. A despeito de casos de abuso no passado, esse tratamento ainda é empregado com sucesso atualmente, ainda que significativamente modificado. Em 1937, H. Houston Merritt e Tracy J. Putnam relataram resultados notáveis utilizando fenitoína no tratamento de crises de ausência maiores e equivalentes psíquicos (epilepsia).

Intensificando a pesquisa em neurociência

1946-1955

Durante os anos que se seguiram à Segunda Guerra Mundial, a Lundbeck intensificou as pesquisas, assentando a pedra angular dos medicamentos que viriam a tornar a Lundbeck mundialmente famosa.

No início da década de 1950, a Lundbeck contava com 180 funcionários.

A Lundbeck contratou seu próprio pesquisador de microbiologia, Ladislaus Szabo, que ajudou a elaborar os primeiros antibióticos da empresa, Tyrosolvin e Tyrosolvetter, no início dos anos 1950. A carteira de antibióticos da Lundbeck fez a empresa conquistar uma boa posição nos Estados Unidos e em outros mercados internacionais.

Em 1954, a Lundbeck deu os primeiros passos no mundo dos tratamentos psiquiátricos ao adquirir uma licença para comercializar Lacumin®, desenvolvido pela farmacêutica alemã Chemishe Fabrik Promonta. Infelizmente, o composto nunca alcançou grandes vendas, mas impulsionou o interesse da Lundbeck pelo desenvolvimento de fármacos para o tratamento de doenças psiquiátricas. Em 1954, Grete Lundbeck, viúva do fundador da empresa, Hans Lundbeck, criou a Fundação Lundbeck no intuito de assegurar e expandir os negócios da Lundbeck e de oferecer apoio financeiro principalmente a causas científicas e à luta contra doenças. Em 1954, a Lundbeck começou seus primeiros passos no mundo dos tratamentos psiquiátricos com uma licença para vender Lacumin® desenvolvido pela empresa farmacêutica alemã, Chemishe Fabrik Promonta.

Infelizmente, Lacumin® nunca se tornou um grande vendedor, mas fez inflamar o interesse da Lundbeck no desenvolvimento de produtos farmacêuticos para o tratamento de doenças psiquiátricas.

Em 1950, Lundbeck se transformou em uma sociedade por ações, com um capital social de 1 milhão de DKK.

Você sabia que…

O fisiologista suíço Walter Rudolf Hess ganhou o Prêmio Nobel em 1949 por mapear as áreas do cérebro envolvidas no controle dos órgãos internos. Hess empregou técnicas de estimulação do cérebro desenvolvidas no fim da década de 1920 e usou eletrodos para estimular o cérebro em regiões anatômicas bem definidas, o que lhe permitiu associar regiões do cérebro a reações fisiológicas específicas. Estimulando o hipotálamo, foi capaz de induzir comportamentos da excitação à apatia, dependendo da região do estímulo. Também em 1949, o psiquiatra australiano J.F.J Cade apresentou o medicamento psicotrópico Lítio, fazendo a era da psicofarmacologia decolar. Uma série de medicamentos antipsicóticos foi introduzida com sucesso nos anos 1950, que não curavam a psicose, mas eram capazes de controlar os sintomas. Em 1952, a clorpromazina (conhecida comumente como Torazina) foi introduzida como o primeiro dos medicamentos antipsicóticos, descoberto na França.

O primeiro antipsicótico

1956-1965

Em 1959, a Lundbeck lançou Truxal®, um dos primeiros antipsicóticos do mundo, que durante as décadas de 1960 e 1970 se tornou o produto mais vendido da empresa. Iniciava-se uma nova era em antipsicóticos para a Lundbeck.

O sucesso com Truxal® para o tratamento da esquizofrenia gerou a necessidade de aumentar a capacidade de produção. Em 1961, a Lundbeck comprou o espaço de uma empresa de laticínios em Lumsås, na Dinamarca, começando em seguida a produzir compostos ativos.

Homens que trabalham no edifício em Lumsås.

Sede em Valby - entrada principal antes de 1964.

No início dos anos 1960, a Lundbeck lançou o antidepressivo Saroten®, o que marcou o início do interesse da Lundbeck em antidepressivos e, mais tarde, conduziria à descoberta de citalopram e ao desenvolvimento do Cipramil®.

Você sabia que…

A imipramina foi, no fim da década de 1950, o primeiro antidepressivo tricíclico a ser desenvolvido. Em setembro de 1958, no primeiro congresso internacional de neurofarmacologia em Roma, na Itália, o Dr. Freyhan, da Universidade da Pensilvânia, nos EUA, foi um dos primeiros clínicos a discutir os efeitos da imipramina em um grupo de 46 pacientes, a maioria dos quais fora diagnosticada com “psicose depressiva”. Os pacientes foram selecionados para esse estudo com base em sintomas como apatia depressiva, retardo cinético e sentimentos de desesperança e desespero.

Crescendo Globalmente

1966-1975

Entre 1960 e 1970, o número de funcionários duplicou, chegando a 680, dos quais aproximadamente cem haviam sido contratados em outros países. A Lundbeck estava se tornando uma empresa internacional.

Olaf Hübner, uma força de liderança no progresso contínuo da Lundbeck em pesquisa e desenvolvimento através de mais de 30 anos.

Olaf Hübner, uma força de liderança no progresso contínuo da Lundbeck em pesquisa e desenvolvimento, expandiu suas atividades de viagem, em 1960, quando ele, depois de uma viagem para o Canadá e os EUA, foi parado pelo Japão para criar relações nos ambientes científicos e empresas farmacêuticas japonesas.

Como resultado dos contatos bem estabelecidos de Olaf Hübner no Japão e com a finalidade de promover os próprios produtos da Lundbeck, bem como o licenciamento de novos compostos, Lundbeck abriu seu primeiro escritório japonês em Tóquio, em 1969.

A empresa abriu novos escritórios em Nova York e Paris e, em 1972, a Lundbeck Ltd. foi estabelecida em Luton, no Reino Unido.

Em 1971, 80% das vendas da Lundbeck foram gerados no exterior. No ano financeiro seguinte, o volume de exportação dobrou.

Você sabia que…

Durante os anos 1970, o desenvolvimento de novas tecnologias de imagem subitamente permitiu aos médicos e pesquisadores ver o cérebro mais de perto sem a necessidade de abrir o crânio. Em 1972, G. N. Hounsfield, da EMI Limited, com sede em Londres, na Inglaterra, produziu o primeiro protótipo de uma tomografia axial computadorizada (TC). Enquanto pesquisava as propriedades analíticas da ressonância magnética, o médico e cientista americano Raymond Damadian criou a primeira máquina de imagem por ressonância magnética (RM). Em 1974, M. E. Phelps, E. J. Hoffman e M. M. Ter Pogossian desenvolveram o primeiro escâner de tomografia por emissão de posítrons (PET scan), máquina que gera informações visuais sobre a atividade do cérebro. Os médicos utilizam as imagens de PET para monitorar o fluxo sanguíneo e o consumo de oxigênio no cérebro, entre outras aplicações.

Focada exclusivamente em doença cerebral

1976-1985

Após 60 anos de crescimento e desenvolvimento com base em uma ampla gama de produtos, a Lundbeck decidiu, ao fim da década de 1970, extinguir gradualmente suas agências e departamentos de cosméticos e se concentrar no desenvolvimento e comercialização de fármacos.

Ao fim da década de 1980, a Lundbeck intensificou ainda mais o foco de sua estratégia comercial. No futuro, a Lundbeck dedicaria seus esforços à pesquisa, desenvolvimento, fabricação e comercialização de fármacos para o tratamento de doenças do cérebro.

Nos anos 1980, a Lundbeck começou a se concentrar no desenvolvimento de sua posição em SNC (sistema nervoso central).

Cipramil® em 70 países

1986-1995

A Lundbeck se expandiu rapidamente na década de 1990 graças ao sucesso de Cipramil®. Cipramil® foi registrado em mais de 70 países para o tratamento de depressão e ansiedade.

Klaus Bøgesø e a equipe após o desenvolvimento de escitalopram.

No 75º aniversário da Lundbeck, em 1990, a receita da empresa somava 0,5 bilhões de coroas dinamarquesas e haviam sido estabelecidas 8 filiais. Contava com 739 funcionários, 189 deles empregados no exterior.

A molécula escitalopram.

Você sabia que…

No início da década de 1990, o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, a declarou a “década do cérebro”, enfatizando o foco político que as doenças ligadas ao cérebro começavam a ganhar. Em 1993, foi identificado o gene responsável pela doença de Huntington. Em 1994, Alfred G. Gilman e Martin Rodbell dividiram o Prêmio Nobel pela descoberta do grupo proteico presente em células humanas, denominado receptores acoplados às proteínas G (GPCRs), e e de sua função na transdução de sinais. Devido à sua relevância fisiológica e patofisiológica, os GPCRs iriam se tornar alvos bem sucedidos para grande parte dos medicamentos atuais. Em 1995, o Dr. John R. Marler e seus colegas demonstraram a primeira intervenção efetiva em um acidente vascular cerebral em andamento.

Cipralex® expandindo o negócio da Lundbeck

1996-2005

Para garantir o seu sucesso contínuo, a Lundbeck intensificou as atividades de pesquisa e começou a adquirir licenças de medicamentos produzidos por outras empresas, o que lhe permitiu lançar novos medicamentos para ocupar o lugar daqueles cujas patentes expiravam.

A empresa de Hans Lundbeck finalmente atingiu a maioridade quando lançou ações na Bolsa de Valores de Copenhague (KFX), em junho de 1999. A abertura deu à Lundbeck acesso a novas fontes de capital caso quisesse adquirir mais subsidiárias, das quais tinha 30 no ano 2000. A empresa se tornou mais visível e conferiu uma responsabilidade maior à administração, porém criou um novo método de recompensar os funcionários com ações. Cipralex®/Lexapro® foi lançado em 2002 e disponibilizado em cerca de cem países pelo mundo, passando a representar a maior parcela dos negócios da Lundbeck.

Em 1997, a Lundbeck estabeleceu o Instituto Lundbeck para ajudar a reduzir o estigma global das doenças do cérebro, através da educação de profissionais de saúde em todo o mundo.

Recepção no dia da listagem na Bolsa de Valores de Copenhagen(KFX) em 1999.

Em 2003, a Lundbeck adquiriu a companhia de pesquisa Synaptic, com sede nos EUA, e estabeleceu uma unidade de pesquisa como cabeça-de-ponte nos Estados Unidos. O interesse em obter mais conhecimentos sobre o grupo de receptores acoplados às proteínas G foi parte da razão por trás da aquisição da Synaptic, que era especializada nessa área.

Jornada de crescimento estratégico

2006-2015

Em 2008, a Lundbeck embarcou em uma nova jornada de crescimento estratégico, passando de uma empresa principalmente europeia para uma empresa global e se expandiu para novos mercados internacionais.

Ao fim de 2013, a Lundbeck tinha aproximadamente 6.000 funcionários em 57 países.

Em 2009, a Lundbeck adquiriu a Ovation Pharmaceuticals, Inc., e estabeleceu a plataforma comercial própria da Lundbeck nos Estados Unidos, o maior mercado de fármacos do mundo. A Lundbeck também adquiriu a Elaiapharm, na França, o que aumentou a capacidade de produção da empresa. Sabril® foi lançado nos EUA para o tratamento de epilepsia. Em 2011, a Lundbeck lançou Saphris®/Sycrest® para o tratamento de esquizofrenia e transtorno bipolar.

Em 2013, Abilify Maintena® foi lançado nos EUA para o tratamento de esquizofrenia.

Os pacientes nos EUA que sofrem de síndrome de Lennox-Gastaut tiveram acesso a uma nova opção de tratamento com o lançamento de Onfi®. Em 2013, a Lundbeck deu os primeiros passos em uma nova área ao lançar Selincro® na Europa, para o tratamento de dependência de álcool. A Lundbeck estabeleceu ainda um novo centro de pesquisas na China e assinou um acordo histórico com a empresa japonesa Otsuka Pharmaceutical Co., Ltd. para produzir medicamentos inovadores com foco em transtornos psiquiátricos.

Em 2014, foi lançado o Brintellix® nos EUA, em alguns países europeus e em outros mercados internacionais para o tratamento da depressão.

Ainda em 2014, a Lundbeck expandiu sua presença no mercado dos EUA ao adquirir a Chelsea Therapeutics e o composto Northera® para o tratamento de hipotensão ortostática neurogênica (NOH) sintomática. A Lundbeck levou 75 anos para chegar ao seu primeiro meio bilhão de coroas dinamarquesas. Nos 25 anos seguintes, a empresa cresceu 30 vezes e atingiu uma receita de aproximadamente 13,5 bilhões de coroas dinamarquesas ao completar o centésimo aniversário, em 2015.

Você sabia que…

Em 2013, Ernst Bamberg e sua equipe ganharam o Prêmio Brain da Fundação Europeia de Pesquisas do Cérebro Grete Lundbeck pela invenção e o refinamento da optogenética. A técnica revolucionária permite que populações de neurônios geneticamente especificadas sejam ativadas ou desativadas por meio de luz, propiciando não apenas a capacidade de elucidar as características dos circuitos neuronais normais e anormais, como também novas abordagens para o tratamento de doenças do cérebro.

Marco dos produtos

Durante o século passado, Lundbeck tem se empenhado na pesquisa, desenvolvimento, produção, comercialização e venda de produtos farmacêuticos em todo o mundo. Hoje, nossos produtos-chave tratam a depressão, esquizofrenia, epilepsia e hipotensão ortostática neurogênica sintomática.

1937

Epicutan®

É lançada a primeira droga original da Lundbeck, para a cicatrização de feridas.

1940

Lucosil®

Lucosil® é lançado para o tratamento de infecções do trato urinário.

1952

Ketogan®

Ketogan® é lançado para o tratamento de dores agudas.

1959

Truxal®

Truxal® é lançado para o tratamento da esquizofrenia.

1989

Cipramil®

Cipramil® é lançado para o tratamento da depressão.

1996

Serdolect®

Serdolect® é lançado para o tratamento da esquizofrenia.

2002

Cipralex®/Lexapro®

Cipralex®/Lexapro® é lançado para o tratamento da depressão/ansiedade.

2003

Azilect®

Azilect® é lançado para o tratamento da doença de Parkinson.

Ebixa®

Ebixa® é lançado para o tratamento da doença de Alzheimer.

2008

Xenazine®

Xenazine® é lançado para o tratamento de coreia associada à doença de Huntington.

2009

Sabril®

Sabril® é lançado para o tratamento da epilepsia.

2011

Saphris®/Sycrest®

Saphris®/Sycrest® é lançado para o tratamento da esquizofrenia e dos episódios maníacos associados ao transtorno bipolar.

2012

Onfi®

Onfi® é lançado para o tratamento da síndrome de Lennox-Gastaut (epilepsia).

2013

Abilify Maintena®

Abilify Maintena® é lançado para o tratamento da esquizofrenia.

Selincro®

Selincro® é lançado para o tratamento de dependência de álcool.

2014

Brintellix®

Brintellix® é lançado para o tratamento da depressão.

Northera®

Northera® é lançado para o tratamento da hipotensão ortostática neurogênica (NOH) sintomática.

Você está prestes a sair do site lundbeck.com.br