Depressão

A depressão é um problema médico grave que está associado a sintomas como a melancolia, perda de energia, dificuldade de concentração e pensamentos suicidas.

A depressão é um problema médico comum que está associado a um vasto leque de sintomas emocionais e físicos. Estes sintomas podem ter um grande impacto na vida do cotidiano. As pessoas que sofrem de depressão podem deixar de ter controle sobre o seu humor ou sentimentos e tendem a sentir-se deprimidas a maior parte do tempo. Por conseguinte, podem também ter problemas em manter o seu emprego, acompanhar os estudos e/ou manter uma vida familiar e social saudável.

A depressão pode atingir qualquer um, mas vários fatores sociais e biológicos podem aumentar o risco de se desenvolver essa perturbação. Além disso, momentos de grande estresse como uma doença grave, desemprego ou luto podem desencadear o problema em algumas pessoas.

Sintomas

A depressão afeta as pessoas de diferentes formas, mas é mais do que se “sentir pra baixo” durante algum tempo. Devido a alterações químicas no cérebro, as pessoas com depressão podem passar por longos momentos de tristeza e ansiedade, sofrer dores inexplicáveis, dormir mal e/ou demonstrar falta de energia e interesse, Estes sintomas podem persistir durante semanas, meses ou mesmo anos.

Na sua forma mais grave, a depressão pode conduzir a pensamentos suicidas e de auto-mutilação.

Estatísticas

A depressão verifica-se em todo o mundo e em pessoas de todas as faixas etárias e de todos os grupos sociais, tanto homens como mulheres. Normalmente, a depressão manifesta-se pela primeira vez em pessoas com idades entre os 20-25 anos.
As estimativas de prevalência variam muito, mas na maioria dos países, cerca de 8 a 12% das pessoas passam por uma depressão ao longo da sua vida.
Atualmente, a Organização Mundial de Saúde classifica a depressão como uma das condições mais debilitantes no mundo, sendo a depressão grave classificada com a mesma categoria que o câncer em fase terminal. A depressão é a principal doença em termos de encargos financeiros nos países de médio e alto rendimento. Um estudo revelou que cerca de 65% dos indivíduos que sofrem de depressão classificam a sua doença como profundamente debilitante. Apesar disto, muitas pessoas com depressão continuam sem receber qualquer tratamento.

A procura do diagnóstico e tratamento

É muito importante que as pessoas com sintomas de depressão procurem ajuda profissional.

A depressão pode ser diagnosticada por um médico, que perguntará sobre sintomas, vida cotidiana e antecedentes familiares. Também pode-se fazer um exame físico para excluir outras doenças. Uma vez o diagnóstico feito, é geralmente recomendada uma combinação de diferentes terapias, incluindo medicação, aconselhamento, apoio social, exercício físico e técnicas de auto-ajuda.

O apoio de amigos e membros da família é também uma parte muito importante da terapia global. Os que estão perto de quem sofre de depressão encontram-se numa posição privilegiada para os encorajar a procurar ajuda e para oferecerem apoio.

Referências

1. American Psychiatric Association. Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders, fourth edition, text revision, DSM-IV-TR. Washington, DC: 2000.

2. Andrade L, Caraveo-Anduaga JJ, Berglund P, et al. The epidemiology of major depressive episodes: Results from the International Consortium of Psychiatric Epidemiology (ICPE) Surveys. Int J Methods Psychiatr Res 2003; 12(1): 3–21. Erratum in: Int J Methods Psychiatr Res 2003; 12(3): 165.

3. World Health Organization. The Global Burden of Disease: 2004 Update. Available at www.who.int/healthinfo/global_burden_disease/2004_report_update/en/index.html (consultado 6 Setembro 2011).

4. Kessler R, Aguilar-Gaxiola S, Alonso J, et al. The global burden of mental disorders: An update from the WHO World Mental Health (WMH) Surveys. Epidemiol Psychiatr Soc 2009; 18(1): 23–33.

Você está prestes a sair do site lundbeck.com.br